Pandemia: Em domingo de desrespeito a normas sanitárias contra a covid-19, Pernambuco tem 84% das UTIs ocupadas

As praias do Grande Recife amanheceram movimentadas neste domingo (10), e receberam ações de orientação e fiscalização para o cumprimento dos protocolos de combate à covid-19 em Pernambuco. Já são 1.146 casos confirmados, com 9.840 mortes em decorrência da infecção pelo novo coronavírus, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde divulgados nesta noite. 


Nas praias de Candeias e Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, equipes da prefeitura, bem como homens da Polícia Militar, Procon e vigilância sanitária trabalhando na fiscalização de barracas e orientando os banhistas que passaram pelo local. De modo geral, nessas duas praias o distanciamento social e demais normas de prevenção de contágio estavam sendo cumpridos por comerciantes e banhistas.


Representantes da Prefeitura de Jaboatão informaram que a gestão municipal disponibilizou três equipes para fiscalizar 9 km da orla da cidade neste domingo. Os servidores teriam à disposição dois quadriciclos para realizar o serviço, que contaria, inclusive, com a distribuição de máscaras para os banhistas.


“Eu vejo fiscalização todos os dias por aqui. Esse trecho é tranquilo. Tenho vindo à praia quase todos os dias, sempre usando máscara e álcool em gel. Eu mesmo higienizo também as cadeiras e mesas quando chegam. Cumpri a quarentena inteira em casa, mas agora tenho saído um pouco para a praia”, afirmou o militar da reserva Flávio Santos, 60, morador de Candeias.


No Recife, apesar da fiscalização, o cenário não era tão tranquilizador nesta manhã. Ao longo do calçadão e nas faixas de areia próximas à pracinha de Boa Viagem e ao Buraco da Velha, no Pina, muitas pessoas se aglomeravam e relutavam em utilizar máscaras.


O eletricista Josemar da Silva, de 57 anos, cobrou da população responsabilidade ao frequentar espaços públicos em um momento de pandemia como o que estamos vivendo. “Está muito agitado, muita gente desrespeitando, sem máscara e aglomerando. Se cuidando, acredito que tem como a gente aproveitar a praia. Infelizmente, não é o que estamos vendo aqui. Depois vem culpar o governo, mas ninguém aqui está fazendo a sua parte. Tem que ter governo, mas tem que ter a parte da população”, disse.


Comerciante há quatro anos, Sandro Francisco, 51, afirmou que a culpa pela cena observada hoje no Pina não é de quem trabalha no local, mas dos frequentadores que não respeitam as normas sanitárias. “Os comerciantes têm feito a parte deles. Aqui só podemos ter 15 mesas, com 4 cadeiras cada. Todas estão com distanciamento. Mas aí tem gente que coloca suas coisas no meio. A gente também tem tentado orientar”, argumentou.


Apesar do desrespeito às normas sanitárias, a Prefeitura do Recife informou que não houve autuação de comerciantes, pois a ação realizada foi educativa. "Toda a orla foi vistoriada, e as irregularidades encontradas foram corrigidas no momento pelas equipes", diz a assessoria de comunicação da prefeitura. Ao todo, 150 profissionais participaram da fiscalização.