terça-feira, 5 de novembro de 2019

Festival Canavial Artes Cênicas reabre, após seis anos, palco dos espetáculos do Cineteatro Polytheama


A noite desta segunda-feira, 4 de novembro, foi de festa para os moradores de Goiana e região. É que o Cineteatro Municipal Polytheama, localizado na rua Marechal Deodoro da Fonseca, mais conhecida na cidade como rua Direita, voltou a receber, após seis anos, apresentações, gratuitas, de espetáculos culturais. Original de 1912 e fechado desde de 1982, o local foi palco da estreia da programação do Festival Canavial Artes Cênicas. A reabertura contou com mais de duzentas pessoas, e teve o espetáculo da Companhia Quarta Parede, do município de Limoeiro, no Agreste do Estado. Que trouxe, ao palco, muita comédia, alegria e diversão, com a peça: Como salvar um casamento. Até domingo, 10 de novembro, o Cineteatro Polytheama receberá dezenas de espetáculos, gratuitos. 

Na cerimônia de ontem, participaram o produtor cultural e coordenador do Festival Canavial Artes Cênicas, Afonso Oliveira, e os produtores culturais, Alexandre Veloso; e Felipe Andrade; e o prefeito em exercício, Eduardo Honório. 

Nesta terça-feira (5), Cineteatro Polytheama, sedia, às 9h, uma oficina de teatro infantil com a Companhia Deu Babau, de Goiana, para alunos da Escola Municipal Professora Belisana Pinto de Abreu de Araújo. Às 15h30, o cineteatro recebe, apresentação cultural do Cavalo Marinho Mestre Batista, de Aliança. O encerramento da programação ficará por conta do espetáculo: “Show Opinião de Novo, que vem da Paraíba. 

Já o Núcleo Social de Tejucupapo, localizado na Zona Rural, oferece, a partir das 9h, uma oficina de contação de histórias, baseada no livro infantil: A Garça Garcinha. A atividade será coordenada pela autora, Mônica Coelho. 



Exposição O Mundo Cênico de Zé do Carmo - Iniciativa reconta, por meio de um projeto expográfico, a trajetória e vida artística de um importante goianense, Zé do Carmo, Patrimônio Vivo de Pernambuco, falecido em abril deste ano. Em cartaz no Cineteatro Polytheama, a exposição traz ao público, curiosidades do homem simples, do interior pernambucano, responsável por criar peças em barro, que representavam personagens do imaginário nordestino. Ele também foi dramaturgo e diretor teatral, escrevendo vários trabalhos. 

Destaque para criação do "Auto de Natal do Vovô Natalino", que criticava a tradição do Papai Noel boreal - estranha ao nosso cotidiano. Publicação que chamou a atenção do sociólogo Gilberto Freyre, em um artigo publicado em artigo no Jornal Diário de Pernambuco, intitulado "Meu Caro do Carmo", em 1983. A mostra tem a curadoria de Felipe Andrade e expografia de Alexandre Veloso.

Cineteatro Polytheama - é um complexo que, além do auditório de 220 lugares com tela retrátil de 7 x 4 metros, do camarim por trás do palco, e da cabine técnica de som e projeção (com players de DVD e projetor multimídia preso ao teto), oferece dois anexos: um sala para reuniões e outra equipadas com dez computadores para oficinas e capacitações. Há ainda um pequeno anfiteatro na área externa e boxes de alimentação.


Fonte: Assessor de Imprensa