terça-feira, 1 de outubro de 2019

Paulo Câmara muda postura e intensifica agenda nacional

 

Há uma mudança de estratégia em curso e ela inclui uma dedicação maior do governador Paulo Câmara à agenda nacional. A participação recente dele na Climate Week, em Nova York, faz parte desse roteiro. Antes de se dirigir ao evento, o socialista apresentou, aos governadores do Nordeste, a proposta de falar em nome deles e recebeu carta branca. Fez uma apresentação, demarcando posição em contraponto à passagem de Jair Bolsonaro pela Assembleia Geral das Nações Unidas. Na ocasião, concedeu entrevista ao jornal Valor Econômico. Além de apontar que a posição de Bolsonaro na ONU "levantou mais muros do que construiu pontes", defendeu a unidade das esquerdas em 2022 e disse que vai trabalhar por essa união. Aliados admitem que há uma mudança de postura e que ele está se "colocando mais na pauta nacional".

Nesta semana, o governador receberá o ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos. Como a coluna antecipou, a agenda deve se configurar num movimento de aproximação institucional entre o Governo Federal e o Governo de Pernambuco. Fontes ligadas ao governador dizem que não dá para radicalizar de forma a prejudicar a pauta administrativa. No Palácio das Princesas, há previsão de agenda do governador com o ministro Sérgio Moro para o dia 21. No domingo, o The Washington Post estampou matéria sobre Fernando de Noronha, tratando a ilha como modelo de desenvolvimento sustentável para o Brasil e traçando novo contraponto em relação ao presidente Jair Bolsonaro. Ontem, Paulo Câmara cumpriu agenda em Brasília. Na pauta, assinatura de convênio com o BID e reuniões, junto com governadores do Norte e Nordeste, com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, sobre a distribuição de recursos do pré-sal. Essa postura "mais ativa" de Câmara na esfera nacional inclui a ampliação do contato com jornalistas, que também deve ser intensificado daqui para frente.

Filiação de Edilson...
O ex-deputado estadual Edilson Silva já havia tido jantar com o governador Paulo Câmara, como a coluna antecipara, como passo prévio para sua filiação ao PCdoB. O ingresso na sigla, agora, tem data para ser formalizado. Será na próxima segunda-feira, às 19h, no restaurante Pé de Canela, em Santo Amaro.

...na segunda > Vice-governadora e presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos estará presente, assim como o vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira, e os deputados Renildo Calheiros e João Paulo. Lideranças nacionais como Flávio Dino, Manuela D’Ávila e Jandira Feghali gravarão mensagens em vídeos.

Efeito Janot > O presidente da OAB-PE, Bruno Baptista, defende que o Judiciário no estado reveja a dispensa de revista de magistrados e membros do Ministério Público ao ingressar nos fóruns e tribunais. A medida, alinhada com a posição da OAB Nacional, foi defendida após as revelações do ex-procurador geral da República Rodrigo Janot de que entrou armado no STF para matar o ministro Gilmar Mendes.

Compulsivo > Em audiência pública sobre Reforma Política, na OAB-PE, o líder do PSB na Câmara, Tadeu Alencar, criticou a fragmentação de partidos: “Temos 28 legendas com representação na Câmara e mais de 50 para serem criadas. Nada justifica essa criação compulsiva de partidos políticos”.

Cara no sol > Para Tadeu, a proibição de coligações em eleições proporcionais, prevista para 2020, é uma das soluções para essa multiplicidade partidária. “Essa iniciativa obrigará que cada partido dispute com o próprio rosto, com seus valores e dará mais nitidez ao voto popular”, diz Tadeu.


Fonte: Folha PE