Novo hospital no Recife irá gerar 1.200 empregos

A obra começa em janeiro de 2020, pois está em fase final de aprovação de projeto, e deve ser concluída em 2022

O polo médico do Recife vai ganhar mais um hospital. A Rede D'Or São Luiz anunciou, na terça-feira, o investimento de R$ 140 milhões na construção da unidade, que contará com 140 leitos e será erguida no Paissandu, na área onde funcionava a antiga Clínica Santa Helena. A obra começa em janeiro de 2020, pois está em fase final de aprovação de projeto, e deve ser concluída em 2022. Quando estiver pronto, o empreendimento vai gerar 1.200 empregos diretos e terá uma área de 18 mil metros quadrados.

De acordo com o diretor-regional da Rede D’Or em Pernambuco, Alexandre Loback, o novo hospital - ainda sem nome - será operado com a bandeira Star, que segue padrão de hotelaria cinco estrelas e priorizará o atendimento personalizado e serviços de alta tecnologia. A unidade será a quarta da rede hospitalar com a marca Star - a primeira já está funcionando no Rio de Janeiro e as outras duas estão em fase final de construção em São Paulo e Brasília.



"A proposta é atender o paciente de forma individualizada, com conforto, com o conceito de hotelaria. As UTIs serão individuais, os apartamentos serão maiores. As pessoas não vão mais precisar viajar para São Paulo em busca de atendimento. Vamos fixar esse cliente aqui", ressalta Loback. Segundo ele, o Recife é hoje o terceiro polo médico do País e tem tecnologia e mão de obra médica de alto valor.
"Não deve nada aos demais estados", acrescenta.

O hospital terá atendimento geral, mas será focado na área de oncologia. A unidade contará com dois equipamentos de radioterapia de última geração e estações de tratamento de quimioterapia. A unidade também receberá o segundo robô Da Vinci para cirurgias da Rede D’Or São Luiz em Pernambuco.

Além de apresentar o novo hospital, o grupo anunciou a abertura da uma filial do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR), organização sem fins lucrativos, num Imóvel Especial de Preservação (IEP) da Avenida Portugal, que foi restaurado com recursos próprios. Segundo os estudos realizados, não é possível precisar a data de construção do casarão, mas estima-se que ele tenha sido construído entre o final do século XIX e o início do século XX. A restauração teve início em 2017 e ficou pronta no segundo semestre de 2018.

Além do novo hospital e do IDOR, a rede está investindo na melhoria dos quatro hospitais que já possui em Pernambuco: Esperança Recife, Esperança Olinda, Memorial São José e São Marcos. O projeto do grupo para Pernambuco inclui ainda a instalação de consultórios nas unidades hospitalares e no Shopping Patteo Olinda e parcerias com planos de saúde para criar o serviço médico da família. "Já estamos testando a ideia com nossos colaboradores. São 6 mil vidas. A previsão é disponibilizar o serviço ao mercado em 180 dias", conclui Alexandre Loback.



FONTE: FOLHA PE