quarta-feira, 3 de abril de 2019

Bretas aceita denúncia, e Temer se torna réu na Lava Jato do Rio

O Ministério Público Federal acusa Temer, 78, de peculato, corrupção e lavagem de dinheiro

O ex-presidente Michel Temer (MDB) tornou-se réu na Lava Jato do Rio nesta terça-feira (2). O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, aceitou duas denúncias contra ele e mais 12 acusados de terem participado de desvios na Eletronuclear.

O Ministério Público Federal acusa Temer, 78, de peculato, corrupção e lavagem de dinheiro. Entre os denunciados, também está o coronel João Baptista Lima, amigo de Temer, e Othon Pinheiro, ex-presidente da Eletronuclear.

O ex-presidente é acusado de chefiar uma organização criminosa que desviava recursos das obras da usina nuclear de Angra 3. A propina, neste caso, teria somado R$ 1 milhão.

O Ministério Público Federal afirmou que chega a R$ 1,8 bilhão o montante de propinas solicitadas, pagas ou desviadas pelo grupo do ex-presidente da República.

Segundo a Procuradoria, a organização age há 40 anos obtendo vantagens indevidas sobre contratos públicos.

No último dia 21, Bretas havia mandado prender os envolvidos preventivamente. Sua decisão foi criticada pelo desembargador Ivan Athié, que revogou as prisões.

Temer chegou a ficar preso por quatro dias na sede da Polícia Federal no centro do Rio. O colegiado do TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região) ainda julgará recurso do Ministério Público, que pediu o restabelecimento das prisões. A data para este julgamento ainda não está definida.



FONTE: FOLHA PE