Alunos são desafiados a simular uma escuderia de Fórmula 1

Estudantes do Sesi de Goiana, interior do Estado, foram selecionados para o mundial de empreendedorismo e tecnologia, o F1 In Schools

Seis estudantes de Goiana, Região Metropolitana do Recife, vão representar Pernambuco na etapa nacional do campeonato mundial de empreendedorismo e tecnologia, o F1 In Schools, entre os dias 15 e 17 de março, no Rio de Janeiro. A equipe Gadget Racing Team, formada por alunos do Sesi-PE, foi a única selecionada do Estado para participar do torneio, no qual os jovens serão desafiados a criar uma empresa que funcionará como uma escuderia, bem como projetar, modelar, construir e testar um protótipo de um carro de Fórmula 1. Caso eles passem, vão representar o Brasil em Singapura, no mês de novembro, uma semana antes do famoso Grande Prêmio de Singapura.



“Nós já atuamos há algum tempo nesse meio da robótica e alcançamos algumas conquistas. Então, no nosso olhar, sabemos que somos capazes e estamos confiantes na busca por mais essa vitória”, explica Rodolfo Prazin, de 17 anos, estudante do terceiro ano. Além dele, formam a equipe Walmir Melo, Glauciano Rabelo, Luis Fellipe de Souza, José Guilherme Torres e Ryan Morais. Eles são treinados pelo Departamento Regional do Sesi-PE para competir. O responsável por capitanear os seis jovens pernambucanos e auxiliá-los em todas as etapas é o professor Jonas Brito. “Eles estão elaborando sozinhos o plano de negócios, o projeto e a construção do carro de Fórmula 1 em miniatura. Também estão em busca de patrocinadores de forma autônoma. A equipe é bastante unida e está preparada para lidar com pressão”, conta o docente que leciona física e matemática e acumula experiência em robótica educacional e torneios.

Ao todo, são 17 equipes competindo, com representantes de estados como São Paulo, Rio Grande Norte e Rio de Janeiro. “É uma oportunidade incrível. Eu pretendo cursar engenharia e seguir na área de automação. E quando a gente entra nesse universo, vamos aprendendo novas coisas, além de ser ótimo para o currículo”, explica Rodolfo. Para o superintendente do Sesi-PE, Nilo Simões, a iniciativa é uma ótima oportunidade para os estudantes desenvolverem competências cognitivas e novas aptidões além da sala de aula. “Além de terem contato com técnicas de empreendedorismo e tecnologia de ponta, eles desenvolverão raciocínio lógico e capacidade de inovação que só irão agregar na vida pessoal e profissional”, comenta.

As equipes serão estimuladas a mostrar habilidades em ciências exatas e design, utilizando recursos tecnológicos, tais como impressoras 3D e softwares de gerência de projetos, gestão, finanças, marketing e mídia. Outra atividade que os participantes serão avaliados é a criação de uma ação benéfica para a comunidade. “Vamos realizar uma ação social que funcionará como uma espécie de oficina de robótica na São Mateus Colégio & Cursos, em Paulista, além de doar alimentos”, fala um dos componentes da Gadget Racing Team, Rodolfo Prazin.

Durante a disputa, que acontecerá no Pier Mauá, os competidores apresentarão o portfólio e disputarão corridas de velocidade com os carros construídos em uma pista de 20 metros. Ao todo, 18 equipes participarão do F1 In Schools e os melhores avaliados pelos 15 juízes passarão para a etapa mundial, que acontecerá em novembro, em Singapura, e reunirá estudantes de 40 países. Os vencedores serão agraciados com estágios na equipe da Fórmula 1.

Promovido pelo Sesi, o evento tem caráter competitivo e demonstrativo, com o propósito de oportunizar o desenvolvimento de novas modalidades de robótica para os estudantes da Rede Sesi, através de uma proposta multidisciplinar global que reproduz os desafios de uma corrida de Fórmula 1.




FONTE: FOLHA PE