PCdoB cogita apoiar Maia, e avalia que Freixo “isola”

Para Luciana, Freixo é caminho que isola esquerda

O apoio do PSL à candidatura do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pegou o PCdoB de surpresa. Mas os comunistas não descartam seguir apoiando o democrata. Duas variáveis pesam para isso. Uma é a capacidade dele, já aferida, de conferir autonomia ao poder legislativo e a outra é definida pela presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos, assim: "Ele sempre foi de cumprir compromissos, o que parece óbvio na política, mas nem todo mundo faz". 

Nos próximos dias, Luciana deve ir à mesa com Rodrigo Maia. O democrata não era o candidato original do presidente Jair Bolsonaro. "Tanto é que os próprios filhos dele têm dado inúmeras declarações...eles tentaram emplacar Alceu Moreira (MDB/RS) e acabaram desistindo. É um cara meio truculento, da bancada ruralista. Depois tentaram emplacar João Campos, de Goiás, e perceberam que o acúmulo que Rodrigo Maia tinha obtido já era muito consolidado", considera Luciana. 

Ela conclui, então, que o Planalto terminou optando por Maia "para não ser derrotado". O apoio do PSL a Maia levou a uma necessidade de reavaliar a equação. Mas a possibilidade de unir-se ao democrata segue de pé. "Nós achamos que foi um movimento ao contrário. Não era a candidatura do desejo do governo", insiste Luciana. Desconsidera, no entanto, desde já, apoio à candidatura de Marcelo Freixo (PSOL). "Achamos que é muito difícil ela representar um base mais ampla. Aí também é um caminho que nos isola", adianta Luciana. E assinala: "A pior coisa que a esquerda pode ter, agora, é se isolar, é a pior estratégia que se pode ter é o isolamento". 

A outra hipótese é montar um bloco para além do já constituído com PDT e PSB, capaz de garantir presença nas comissões, autoria de proposições legislativas estratégicas e isso poderia incluir o PT e o MDB. No último domingo, Luciana trocou uma ideia com Gleisi Hoffmann por telefone. Lembra que, na Câmara, muitas vezes, as coisas acontecem "do dia para noite". As declarações foram dadas em entrevista à Rádio Folha FM 96,7.

Numa mesa só
Luciana Santos já propôs ao governador Paulo Câmara o resgate de um conselho de desenvolvimento, já adotado nos tempos de Eduardo Campos. A ideia é reunir personalidades influentes que pensam Pernambuco. "A gente vai juntar numa mesa só isso que chamo de forças vivas", adianta a comunista.

Gargalo > Luciana lembra que o referido conselho "era ATÉ presidido por Waldemar Borges". Na avaliação dela, "um dos gargalos que o governo precisa enfrentar é aumentar a capacidade de diálogo com a sociedade civil". O governador acenou positivamente.

Lira em PE > Líder do PP na Câmara Federal, Arthur Lira jantou, no Recife, no último domingo, com o líder do PSB, Tadeu Alencar. Em pauta, a formação de um bloco que incluiria PDT, PP, PSB, PT, PCdoB, MDB. A soma poderia desestabilizar o bloco de Rodrigo Maia na corrida pela presidência da Câmara.

À mesa com... >
Presidente estadual do PSC, André Ferreira esteve na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, há cerca de 15 dias. A tendência é que o PSC apoie a recondução do democrata. "Nosso compromisso é com a pauta do Brasil", avalia André.

...Maia > Além do dirigente do PSC-PE, participaram da reunião ainda, os deputados Paulo Martins (PR), Takayama (PR) e Wladimir Garotinho, eleito pelo PRP, mas de mudança para o PSC, uma vez que o partido foi enquadrado na cláusula de barreira.

Três > Do PSB, três nomes visam à 1ª vice-presidência da Alepe: Diogo Moraes, Simone Santana e Aglaison Victor. Outros três são cotados para a 1ª secretaria: Clodoaldo Magalhães, Isaltino Nascimento e Francismar Pontes.


FONTE: FOLHA PE