sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Henry vê 'sinais' de Paulo. No PSB, passam batido

Se o governador faz gestos no sentido de ampliar o diálogo, o PSB segue irredutível

O incômodo de Luciano Bivar, traduzido por ele à coluna como “desconforto” em relação à postura do PSB, foi manifestada já dentro da reunião do governador Paulo Câmara com a bancada de deputados federais de Pernambuco. “Em primeiro lugar, é importante dizer que Luciano externou essa posição dele na reunião, inclusive”, relata o deputado federal eleito, Raul Henry, um dos presentes ao encontro realizado na última quarta-feira “Foi de forma muito verdadeira, muito transparente e muito cordial também, mas ele fez o registro“, detalha Henry. 

A insatisfação de Bivar diz respeito às declarações de socialistas que atribuíram à presença do PSL o recuo no apoio a Rodrigo Maia. Henry, que foi vice-governador e conhece Paulo Câmara de perto, observa o seguinte: “Pelo que tenho acompanhado no noticiário, ele tem feito um esforço de conciliação. Recebeu Rodrigo Maia, reconheceu todo esforço que Maia fez no mandato anterior para ajudar Pernambuco e os sinais que ele dá são de que está tentando dialogar dentro do PSB - os sinais e as declarações que ele dá, inclusive. Acho que é uma boa atitude essa de tentar conversar dentro do partido”. 

De convivência estreita com o governador, Henry percebe que ele “dá sinais de que ele tenta construir ambiente de diálogo dentro do partido e de que acha o nome de Rodrigo Maia um bom nome para presidência da Câmara”. A despeito de suas percepções, Henry pondera: “Mas isso é uma discussão interna do PSB, que não me cabe opinar sobre ela”. Se o governador dá sinais no sentido de ampliar o diálogo, visando à candidatura de Rodrigo, o PSB segue irredutível e emitiu nota, anteontem, ratificando posição contra o democrata. 

Paulo, após reunião com a bancada, contemporizou: “Há um indicativo de não acompanhar o bloco que o presidente Rodrigo Maia está formando, mas vamos aguardar. Essas coisas são dinâmicas e até o dia 1 muita coisa pode mudar”. O comunicado do PSB foi assinado pelo presidente Carlos Siqueira e pelo líder da bancada, Tadeu Alencar. Se o governador tem mesmo dado sinais, como também apontam outros deputados aliados, entre os socialistas, eles estão passando batido.


Altas plumagens
As conversas do deputado federal Bruno Araújo referentes à presidência do PSDB situam-se no ambiente das altas plumagens. O tucano, que preside o PSDB em Pernambuco, tem feito movimentos dos mais discretos.

Ativo > O tamanho que João Doria assumiu após ser eleito governador de São Paulo é visto entre tucanos como algo ainda maior do que o que o cargo já conferia, dado o contexto.

Braçada > Esse ativo de Doria, somado à ausência de rejeição, no PSDB, ao nome de Bruno e ao mergulho dado por Geraldo Alckmin deixam Doria nadar de braçada na articulação para conduzir Bruno Araújo à presidência nacional da sigla.

Bate... > A deputada Simone Santana contabiliza mais de 10 apoios declarados na disputa pela vice-presidência da Alepe. A socialista segue tranquila para o embate no qual baterá chapa com o jovem Aglailson Victor, recém-chegado à Alepe.

...chapa > Simone segue para o segundo mandato. Cautelosa, continua conversando sem trégua, angariando votos.

Escolhas > Presidente do PDT-PE, Wolney Queiroz pretendia indicar Wellington Batista para secretário ou presidente de uma vinculada, mas Zé Queiroz não abriu mão dele para chefiar seu gabinete.



FONTE: FOLHA PE