Lula e juíza discutem em primeiro depoimento à substituta de Moro

Foi a primeira vez que Lula depôs para a magistrada, que ficou responsável pelos processos da Lava Jato

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a juíza substituta de Sergio Moro, Gabriela Hardt, se confrontaram em diversos momentos durante o interrogatório da ação do sítio de Atibaia (SP), nesta quarta (14).

Foi a primeira vez que Lula depôs para a magistrada, que ficou responsável pelos processos da Lava Jato desde que Moro foi aceitou ser ministro do presidente eleito, Jair Bolsonaro.

Logo no início do depoimento, Lula afirmou que não sabia o motivo de estar respondendo ao processo e indagou qual era a acusação a Hardt. A juíza respondeu que o Ministério Público afirma que ele foi beneficiário de obras no sítio por empreiteiras e pelo pecuarista José Carlos Bumlai.

Lula subiu o tom, dizendo que pensava que a acusação era de que ele é o dono do sítio. "Eu estou disposto a responder toda e qualquer pergunta. Eu sou dono do sítio ou não?"

"Isso o senhor que tem que responder, não eu. Eu não estou sendo interrogada nesse momento", rebateu Hardt. "Senhor ex-presidente, isso é um interrogatório e se o senhor começar nesse tom comigo, a gente vai ter problema. Vamos começar de novo, eu sou a juíza do caso."

Após discussão da juíza com os advogados de Lula, ela volta a perguntar ao ex-presidente: "Está claro que eu não vou ser interrogada?"

Lula responde: "Eu não imaginei que fosse assim, doutora. Como eu sou vítima de uma mentira...", e é interrompido pela juíza.

"Eu também não imaginava, então vamos começar com as perguntas. Eu já fiz um resumo da acusação e vou fazer perguntas, ou o senhor fica em silêncio ou o senhor responde."

No fim do depoimento, o ex-presidente voltou a discutir com Hardt. Ao falar da acusação do tríplex, em que ele foi condenado, diz que quando viu o Power Point que a força-tarefa da Lava Jato fez citando como o chefe do esquema de corrupção na Petrobras, pediu ao PT "que todos os filiados abrissem processo contra o Ministério Público".

"O sr. está intimidando a acusação assim, sr. presidente, vamos mudar o tom. O sr. está instigando a acusação ao intimidar o Ministério Público, não vou permitir", respondeu Hardt.

Ele ainda falou que o doleiro Alberto Youssef, delator dos casos Banestado e Lava Jato, é amigo de Sergio Moro.

Hardt repreende o ex-presidente. "Ele [Lula] não vai fazer acusações a meu colega [Moro] aqui."

"Eu não estou acusando, eu estou constatando um fato, doutora", rebate Lula.
"Não é fato, porque o Moro não é amigo do Youssef, nunca foi", acrescenta ela.
"Mas manteve ele sob vigilância oito anos", diz Lula.

A juíza pede para o assunto se encerrar. "Ele não ficou sob vigilância oito anos, e é melhor o sr. parar com isso".



FONTE: FOLHA PE