Farol de Santa Helena será reinaugurado em Goiana

Monumento essencial para os pescadores, em Ponta de Pedras, o farol teve a estrutura substituída com recursos dos próprios moradores

Com mais de 50 anos e muita ferrugem, o Farol de Santa Helena foi completamente substituído e será reinaugurado na próxima quarta-feira (5) em Ponta de Pedras, distrito de Goiana. Com apoio financeiro da população local, a Marinha conseguiu trocar a estrutura de seis metros pela segunda vez. O primeiro farol foi colocado ali há 100 anos, em 1918. Peça importante do imaginário dos goianenses - além de diversos visitantes assíduos -, o monumento é essencial para os pescadoreslocais.

“Há vários deles ali, com pequenas embarcações que precisam da orientação. As maiores, em menor quantidade, têm tecnologias que não prescindem da luz do farol”, explicou o capitão dos Portos de Pernambuco, Maurício Bravo. “O antigo havia substituído o primeiro na década de 1960. Estava muito enferrujado por ação da maresia. A nova estrutura do farol, criada pelo Serviço de Sinalização Náutica do Nordeste, no Rio Grande do Norte, tem mais resistência e proteção anticorrosiva”, argumentou o capitão.

Os materiais e o trabalho foram financiados coletivamente, por descendentes de Manoel César De Albuquerque, que era dono da terra em que o farol foi colocado. “Uma ajuda de extrema importância”, avaliou Bravo. “Benedicto César, o filho de Manoel, amava a Marinha e cuidava do farol. Quando ele morreu, a viúva dele e as filhas fizeram a doação definitiva da área à Marinha do Brasil”, contou a neta de Benedicto, Annita César. Ela e uma prima foram as principais angariadoras de recursos. “Passamos mesmo o chapéu porque nos reunimos com a Marinha para falar sobre a situação do farol e, apesar nos atenderem muitíssimo bem, foram sinceros sobre a falta de recursos para fazer a reforma. Decidimos fazer a parceria, pelo bem do farol.”

Annita pediu o dinheiro, comprou solda, capacete, rolinhos de pintura, cimento, brita, areia. Acompanhou e registrou cada momento da obra para prestar contas aos doadores. “A prefeitura também ajudou com a limpeza do local, que estava abandonado, tinha até porcos sendo criados ali”, comentou Annita. “Construímos um muro, mas ainda faltam algumas coisas, como um portão.”
Regata Benedito César

É Ponta de Pedras o destino da segunda mais antiga regata do Brasil, a Benedito César, que acontece todo segundo domingo de dezembro. Não por acaso é batizada em homenagem ao avô de Annita. Nos anos 1950, quando velejadores do Iate Clube pediram apoio do dono das terras para começá-la, não havia muito por ali, a não ser uma incipiente vila de pescadores. “Os navegadores foram chegando e se surpreenderam com a festa que meu avô preparou para eles”, contou. O jantar na casa onde Benedito viveu com a esposa, dona Nitinha, é tradicional até hoje. A 66ª edição será realizada no próximo dia 8. A praia é um dos pontos mais ao leste da América Latina continental.



FONTE: FOLHA PE