Relatos de violência são registrados no Recife após resultado da eleição

Em várias regiões do Recife foram relatados tiros em comemoração à vitória de Jair Bolsonaro. Militantes de Haddad também alegam ter sofrido ameaças.

Relatos de violência foram registrados na noite deste domingo (28) no Recife, após a divulgação do resultado das eleições presidenciais. Na Várzea, Zona Oeste da cidade, um homem em um carro disparou tiros para o alto. Caso semelhante aconteceu no bairro de Coqueiral, também na Zona Oeste. Em um bar no bairro do Santana, na Zona Norte, um grupo de pessoas foi ameaçada e teve que ir embora. Moradores do bairro da Boa Vista, no Centro, recolheram bandeiras petistas das janelas das casas depois de serem ameaçados de morte.

Na Encruzilhada, jogaram fogos de artifício dentro da casa de um militante do Democracia Santacruzense, organização política formada por torcedores do Santa Cruz que utilizam do futebol para discutir política. “Ligações com ameaças, bombas jogadas na minha casa, megafone com promessas de assassinato, estão fazendo isso comigo agora e com outros amigos do futebol também”, comentou Esequias Pierre, membro do coletivo.

Esequias, que é professor de história, explicou que procurou ficar em casa depois da divulgação do resultado, porque espera represálias. Ele faz parte do Democracia Santacruzense. “De mim e do meu campo é resistir e organizar”, publicou em uma rede social. “Eu tinha chegado em casa há poucos minutos, voto em Vertentes. Estava dentro de casa quando se confirmou a vitória de Bolsonaro e começaram a pipocar bombas, acredito que aquelas de São João, na frente de casa. Fogos e gritos de ‘vamos matar os vermelhos’. Jogaram por cima do muro e na rua ouvi mais quatro. Aparentemente estavam de moto, pelo barulho. Logo depois eu sai e guardei meu carro que está adesivado”, relata.

Já Jean Silva estava em uma festa de rua, no bairro de Coqueiral, quando um homem sacou uma arma e disparou para o alto. “Era por volta das 20h40, estávamos em uma festa de rua com paredões. Um homem disparou mais ou menos oito vezes para o alto, gritando o nome de Bolsonaro. Tiraram a música, começou uma correria e acharam melhor acabar com a festa. Até a hora que eu saí, a polícia não tinha aparecido no local”, afirmou.

Tiros foram disparados para o alto também na Várzea. Uma mulher, que, por medo, preferiu não se identificar, gravou o momento em que um homem atira de dentro de um carro. “Tenho muito medo. Não por mim. Mas pela minha família. Peço sigilo. Presenciamos o momento em que ele pega a arma e saca pela janela do carro, dando tiro pra cima, em comemoração. Amanhã vamos denunciar”, comentou.

Em um bar no bairro do Santana, na Zona Norte, um grupo teve que sair do local por causa de ameaças. “Começou uma confusão grande. As pessoas estavam falando que tinha alguém armado dentro de um carro, e que atiraria em quem estava com adesivo de Haddad e, obviamente, gerou pânico. Nós pedimos a conta e fomos embora”, lamentou uma das vítimas, que também preferiu não se identificar.

No bairro da Boa Vista, um militante da esquerda disse que vizinhos utilizaram megafone para intimidá-lo. “Vieram sons das janelas vizinhas. Ora aos gritos, ora com um megafone. Provavelmente de janelas diferentes, pedindo morte aos petistas ou que esses merdas se mudem para Cuba. Tiramos as bandeiras e fechamos as janelas e portas”, comentou o militante, que também preferiu não se identificar.

De acordo com a Polícia Civil de Pernambuco, até o fim do pleito, às 17h, não houve registros de brigas ou violência. Em nota, informaram que o reforço de efetivo permaneceria para a manutenção da paz no pós-eleição. Foram registrados 28 crimes eleitorais, oito foram feitos nas delegacias da Região Metropolitana do Recife, com destaque para o município de Ipojuca, com 5 ocorrências.

Quatorze na Diretoria do Interior 1, que abrange a Zona da Mata e Agreste do Estado, e as outras seis foram computadas no Sertão pernambucano. A nota informa, ainda, que todos os 184 municípios pernambucanos, além do distrito de Fernando de Noronha, contam com reforço nas forças de segurança pública durante a realização do segundo turno das Eleições 2018.

Ao todo, o efetivo é 18% superior ao empregado nas eleições de 2016 (13.056). No total, são 27.242 jornadas ou postos de trabalho ativados nos dois turnos. Com isso, estão em funcionamento 218 delegacias em todo o Estado, assim como de unidades do Corpo de Bombeiros em prontidão e com equipes extras.

Toda essa estrutura é coordenada de forma integrada por meio do Centro Integrado de Comando e Controle Regional, onde estão concentradas as operativas da SDS, representantes do Exército, órgãos de trânsito municipais, guardas municipais, Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Celpe, Compesa, Samu - Recife, Central de Leitos da Secretaria Estadual de Saúde e do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).



FONTE: FOLHA PE