Petista puxará votos para Governo de Pernambuco

Na corrida pela vaga no Palácio do Campo das Princesas, contar com o apoio e a influência de “puxadores de votos” é uma estratégia comum. De acordo com a pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) em parceria com a Folha de Pernambuco, entre os nomes de Lula (PT), Marina Silva (Rede), Michel Temer (MDB), Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (PSL) e Geraldo Alckmin (PSDB), o ex-presidente Lula aparece como o mais influente na escolha do voto pernambucano.

Do total de entrevistados, 45% declararam que “com certeza votariam” em um postulante apoiado pelo petista. O apoio de Lula, inclusive, é um dos mais disputados pelos candidatos em Pernambuco. É o caso do governador Paulo Câmara (PSB), que busca a reeleição, e afirma ser “o candidato de Lula” no Estado. Armando Monteiro (PTB), que apesar de ceder palanque para Geraldo Alckmin (PSDB), também declarou voto para o ex-presidente.

Vale lembrar que o PT firmou aliança com o PSB, retirando a candidatura da vereadora Marília Arraes (PT) ao Governo do Estado em troca da neutralidade do PSB na disputa presidencial. Já a ex-ministra Marina Silva (REDE) aparece com 11% dos entrevistados afirmando que “com certeza votariam” no indicado por ela, enquanto 54% “não votariam de jeito nenhum”. Em Pernambuco, Marina apoia o ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (Rede).

Maurício Rands (PROS) tem o PDT de Ciro Gomes no seu arco de alianças. Mas, segundo a pesquisa, o presidenciável registra uma rejeição grande, com apenas 8% do eleitorado afirmando que “com certeza” votaria num candidato apoiado por ele.

Detalhamento
Entre os entrevistados que declaram que “com certeza votariam” em um candidato apoiado por Lula, o melhor percentual do petista está entre eleitores com idade entre 45 e 49 anos, 49%; que têm o ensino fundamental, 49%, e recebem até dois salários mínimos, 48%.

O melhor desempenho de Marina, por sua vez, é registrado entre os eleitores com idade entre 16 e 24 anos, 13%, que possuem ensino médio, 12%, e recebem até dois salários mínimos, e entre dois e cinco, 11%.

Já Ciro Gomes tem o melhor índice entre os eleitores acima de 60 anos, 10%, com ensino fundamental e médio, 8% cada, e que recebem mais de cinco salários mínimos, 9%.

Os mais jovens também são os que mais consideram apoiar Jair Bolsonaro. O deputado federal possui 19% das intenções de votos entre os eleitores com idade entre 16 e 24 anos, com ensino superior e mais de cinco salários mínimos.

Alckmin, por sua vez, tem mais influência junto aos pernambucanos com idade entre 45 e 59 e, também, com os eleitores com mais de 60 anos, 8% cada. No recorte de escolaridade, o maior percentual é registrado entre entrevistados com ensino fundamental e com ensino superior, 7% cada. No quesito renda, o tucano tem mais influência entre os que recebem até dois salários mínimos e entre os que recebem mais de cinco salários mínimos, 8% cada.

Rejeição

O pior cabo eleitoral, no entanto, é o presidente Michel Temer (MDB). O emedebista - que não é candidato - registra rejeição de 91% entre os entrevistados, que “não votariam de jeito nenhum” em um candidato apoiado por ele. Quando detalhada, a sondagem continua com resultados negativos na capital, na periferia e no interior, com 96%, 89% e 91%, respectivamente.

Atrás de Temer, Bolsonaro e Alckmin também possuem alto percentual de rejeição. Entre os entrevistados, 67% registraram que “não votariam de jeito nenhum” em um candidato apoiado pelos dois presidenciáveis.