Ex-funcionários de grupo empresarial fazem protesto e fecham via em Recife

Manifestação ocorre na manhã desta segunda (20), na Avenida Mascarenhas de Moraes, na Imbiribeira. Trabalhadores que aderiram ao Programa de Demissão Voluntária (PDV) exigem verbas decorrentes de negociação na Justiça.

Ex-funcionários do grupo empresarial João Santos realizam um protesto, na manhã desta segunda-feira (20), na Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, na Imbiribeira, na Zona Sul do Recife. O ato ocorre na frente da sede do Ministério do Trabalho, no sentido Boa Viagem/Centro da cidade. Os manifestantes reivindicam pagamento de acordo trabalhista a pessoas que aderiram ao Programa de Demissão Voluntária (PDV).

De acordo com os manifestantes, cerca de 100 pessoas participam do ato. Eles levaram faixas e cartazes para criticar a decisão da Justiça. O protesto começou por volta das 9h e o trâsnito está lento no local, uma vez que uma das faixas foi bloqueada. A Autarquia de Trânsito e Transportes Urbanos (CTTU) informou que agentes estão monitorando a área.

De acordo com os ex-trabalhadores, o pessoal que aderiu ao PDV ficou sem receber o que foi prometido em negociações judiciais. Por decisão da Justiça, segundo os manifestantes, foram realizados dois leilões de bens do grupo empresarial. Com esse dinheiro, seriam quitados os débitos trabalhistas.

Em junho, houve arrecadação de R$ 21 milhões com a venda de terrenos. Logo depois, trabalhadores da ativa receberam 44% desses recursos. Coube aos demissionários 21% do dinheiro.

No segundo leilão, em outubro, foi possível arrecadar R$ 5,8 milhões. Os manifestantes afirmam que a Justiça havia informado que a maior parte das verbas seria entregue ao pessoal do PDV. E isso não teria ocorrido.