[Vídeos] Emoção e estádio lotado na 27ª edição da Obra de Maria

Destaques do evento neste domingo (1º) foram padre Marcelo Rossi, Antônio Maria e Reginaldo Manzotti.

O barulho típico de estádio de futebol não era por causa do gol ou das jogadas mirabolantes. Neste domingo (1º), na Arena Pernambuco, o que se viu foi o coro emocionado do louvor dos fiéis em comemoração aos 27 anos da Obra de Maria. 

Ao longo de todo o dia, desde as 11h até a noite, finalizada com show de Padre Marcelo Rossi, o estádio permaneceu lotado e foram muitos os momentos em que as pessoas ficaram com lágrimas nos olhos. 

Além das arquibancadas, o gramado foi tomado por cadeiras, todas ocupadas. Outros padres conhecidos do público católico também se apresentaram, como os padres Antônio Maria e Reginaldo Manzotti, que fizeram as pessoas dançarem com as mãos para cima, puxando palmas.

A imagem de Nossa Senhora Aparecida, que completa 300 anos este ano, percorreu todo o entorno do estádio em uma pequena procissão acompanhada pelos cristãos, de celular em punho para filmar, causando um belo efeito visual. Nessa hora, não foi difícil se deparar com cristãos com olhos marejados de lágrimas, ou mesmo aos prantos. 

Outra situação emocionante ocorreu quando o idealizador da Obra de Maria, Gilberto Gomes Barbosa, chamou ao palco armado na Arena o Arcebispo da Arquidiocese de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, que trouxe em seus braços a imagem de Santa Terezinha do Menino Jesus. Ao mesmo tempo, um helicóptero que sobrevoava a arena jogou pétalas de rosas sobre o público.



A comerciante Maria da Silva Lacerda, 62 anos, veio de Maceió com as amigas para assistir a comemoração. O sacrifício de sair de casa às 5h30 da manhã e pegar a estrada no mesmo dia, à noite, com mais duas amigas, não desanimou a católica. "Foi a primeira vez que vim e achei ótimo. Gostei muito de tudo. Achei o evento bastante organizado", disse Maria, que crê na participação de eventos como esse como uma maneira de tocar o coração. "Só achei o som alto demais", pondera. 

A dona de casa recifense Maria Alessandra, 50, já havia ido para outros eventos de louvor e canto como o de ontem, mas achou esse maravilhoso. "A energia é muito gostosa. Todo mundo numa só oração", declara Alessandra, que chegou a arena quando os portões abriram, às 9h, e à noite não apresentava nenhum sinal de cansaço. 




Fonte: Folha PE