Goiana: Cidade ganha UPA, mas população não pode usufruir da obra



A cidade de Goiana, Mata Norte de Pernambuco, recebeu o prédio que deveria funcionar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e a Unidade de Pronto Atendimento (UPAE).

A Primeira Unidade de Pronto Atendimento da região, foi construída na Northville, Q-1, as margens da PE-75. 

De acordo com o Ministério da Saúde, nas UPA's do Brasil cerca de 97% dos atendimentos são solucionados na própria unidade. Com  o custo de R$ 1.642.983,06 (Um milhão, seiscentos e quarenta e dois mil reais, novecentos e oitenta e tres reais e seis centavos). A unidade deverá compor a rede de urgência e emergência do município e de cidades vizinhas, em conjunto com a Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde e o hospital regional Belarmino Correia. 

Com a expectativa da inauguração da unidade, a população espera que haja uma considerável redução nas filas nos prontos-socorros dos hospitais da região.

A página do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal diz que a UPA deve funcionar 24 horas por dia, sete dias por semana, e poder resolver grande parte das urgências e emergências, como pressão e febre alta, fraturas, cortes, infarto e derrame.

A UPA deve oferecer estrutura simplificada, com raio-X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação.

Estivemos no prédio onde já deveria está funcionando o atendimento, desde o dia 05 de Janeiro de 2015, segundo a placa de identificação da obra, o local está cercado por cercas, que já foram derrubadas e segue sem vigilância.

Em nenhum momento um ninguém abordou a nossa equipe de reportagem, sem segurança e em completo estado de abandono, já começam a aparecer problemas estruturais no prédio e o mato começa a tomar conta do local.