quarta-feira, 1 de junho de 2016

Até a batalha pela liderança PE perdeu


O convite ao deputado Miguel Coelho para ser ministro de Minas e Energia do Governo Michel Temer distanciou ainda mais o PSB de Pernambuco do PSB nacional. 

O ex-líder do PSB na Câmara chegou ao ministério à revelia do presidente nacional Carlos Siqueira, do governador Paulo Câmara e do prefeito Geraldo Júlio, que eram radicalmente contrários à participação do partido no governo. 

Foi a primeira prova incontrastável da perda de influência da secção pernambucana no comando nacional, já que Fernando Filho virou ministro de Estado com apoio da maioria esmagadora da bancada federal e contra a vontade dos seus próprios co-estaduanos. 

Esperava-se, agora, que com a saída dele para o ministério, o seu substituto na liderança fosse algum deputado de Pernambuco, que tem 25% da bancada federal. Danilo Cabral ou Tadeu Alencar eram os mais credenciados, mas foram atropelados pelo deputado Paulo Foletto (ES).

Danilo Cabral e Tadeu Alencar perderam a disputa pela liderança da bancada federal do PSB para o capixaba Paulo Foletto

Doutor Romeu
Romeu da Fonte, que morreu ontem no Recife aos 79 anos e será sepultado hoje às 10h, no cemitério de Santo Amaro, virou conselheiro do TCE em 1997 por indicação unânime da Assembleia Legislativa. 

Obteve todos os votos (47), à exceção do dele, que se absteve. Em 2009 publicou um livro de memórias escrito pelo jornalista Jodeval Duarte, cujo título é simples como ele foi: “Doutor Romeu”.

Delação > Diferentemente do que se diz em Brasília, o acordo de delação premiada celebrado entre a Odebrecht e o Ministério Público Federal não assusta nem um pouco a classe política. É que receberam ajuda financeira dela cerca de 500 políticos de vários partidos. Ou seja, ou cai a República ou salvam-se todos.

Canal > Sebastião Oliveira acompanhou Paulo Câmara ontem na 1ª audiência com o ministro Maurício Quintella (Transportes). O diálogo fluiu fácil porque o ministro é do PR (mesmo partido do secretário), e alagoano.

Parceria > Para fortalecer a candidatura do vice-prefeito Jorge Gomes (PSB) à sua sucessão, o prefeito de Caruaru, José Queiroz (PDT), participou ontem ao lado dele da reunião mensal de monitoramento.

Militância > Adilson Gomes, secretário-geral do PSB-PE, será homenageado hoje em almoço do Caxangá Ágape pelos seus 50 anos de militância política. Começou no velho MDB em 1966 como porteiro da Alepe.

Exclusão > O deputado Aluísio Lessa (PSB), que desistiu de concorrer à prefeitura de Goiana, disse numa reunião com partidos aliados que apoiaria qualquer candidato, menos o prefeito Fred Gadelha (PTB) e seu antecessor Osvaldo Rabelo Filho (PMDB). Sua fala provocou reações no próprio PSB e ele voltou atrás.

Gestão > Pelo relatório de gestão fiscal do 1º quadrimestre deste ano, a Prefeitura do Recife comprometeu 49,96% de sua receita com a folha (acima do limite prudencial), 20,47% em educação (mínimo constitucional é 25% até o final do exercício) e 13,5% na área de saúde (mínimo é 15%). Mas está sob controle.

Golaço > Michel Temer fez um gol de placa ao escolher Aloysio Nunes (PSDB-SP) para ser o líder do governo no Senado. É ele quem vai duelar todos os dias na tribuna com o pernambucano Humberto Costa (PT), líder da presidente afastada Dilma Rousseff. Aloysio se destaca na Casa por possuir os seguintes atributos: é culto, tem a compreensão do Brasil, sabe conviver com os adversários e não faz demagogia.

da Folha PE