Adolescente de 15 anos morre após falta de medicamentos na Farmácia do Estado

Nesta terça-feira, foi enterrado o corpo da adolescente de 15 anos que morreu no Procape depois de um agravamento no quadro de hipertensão arterial pulmonar. Jaqueline Ferreira não estava conseguindo dois tipos de medicamentos que precisava tomar todos os dias: o sildenafila e o bosentana. Esse último tem cada caixa vendida por R$ 4,5 mil. A advogada da Associação de Portadores de Hipertensão Arterial Pulmonar Waneska Kramer acionou a Justiça e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE).


Por meio de uma nota, a Secretaria de Saúde do Estado (SES) informou que um dos medicamentos, o Sildenafila, já foi comprado. Mas a empresa fornecedora ainda não entregou a droga. Por isso, ela vai ser notificada oficialmente para de imediato fazer a entrega. Já o Bosentana, também segundo o documento, já estaria disponível nas farmácias do Estado.



A aposentada Andréa Moura também precisa desses medicamentos, mas não consegue desde o fim do ano passado. Depois de ouvir a nota da Secretaria de Saúde, ela e o marido, o motorista Flávio Roberto Leal resolveram gravar a conversa que tiveram com os atendentes da Farmácia, o que desmente a resposta do Governo. Enquanto isso, Andréa está tomando remédios doados por parentes de outros pacientes que já morreram.

A situação dela não é isolada. Na frente da Farmácia de Medicamentos da Secretaria Estadual de Saúde, pacientes e familiares se reuniram depois de mais um dia de peregrinação em busca de remédios, que estão com fornecimento atrasado há meses. Entre elas, a dona de casa Maria Cristina da Silva. O filho conseguiu o transplante de um dos rins em maio. Agora não consegue o medicamento que evita a rejeição do novo órgão.

Com informações do Rodrigo de Luna