quarta-feira, 4 de maio de 2016

IV Centenário um retrato da educação de Goiana

A  escola IV Centenário, é um reflexo da educação do município de Goiana, mata norte de Pernambuco, estivemos lá na manhã desta quarta, (04/05/2016), e não tivemos dificuldade para entrar na escola, já que o guarda que deveria fazer a segurança do local só veio aparecer quase meia hora depois que já estávamos registrando fotos no interior da escola.

Problemas como portas e janelas quebradas, bancas mal conservadas, paredes e muros pichados, instalações elétricas expostas, vasos sanitários e chuveiros quebrados, foram apenas alguns dos registros que conseguimos fazer do local.

Diante desse cenário, conversamos com uma professora que preferiu não identificar-se e ela falou que o ambiente está interferindo muito na qualidade do ensino e do aprendizado, pois os alunos não tem o minimo de conforto necessário para assistir as aulas, sem falar em animais peçonhentos como cobras, que já apareceram dentro da escola.






Apesar de já ter sido iniciada a reforma do colégio, a gestão municipal parece não estar preocupada com os custos que do material que será utilizado, pois existem telhas e tijolos na redondeza da quadra da escola e o portão que deveria estar fechado evitando que ladrões roubem o material foi retirado e a entrada da quadra esportiva encontra-se totalmente aberta sem sequer um guarda fazendo a segurança do local.

Varias pessoas relataram que vizinhos estão entrando no local e levando telhas e tijolos para casa, para usar em beneficio próprio.
Flagramos um homem que estava retirando telhas da reforma da escola em plena luz dia.
Populares da região afirmaram já ter visto pessoas roubando o local, retirando areia, cimento e tijolos.

A quadra da escola é um problema a parte, pois apesar de estar em uso, as ferragens e o telhado ameaçam desabar a qualquer momento, parte do telhado já começa a cair e mesmo sem qualquer condição de uso, a quadra não só é usada para práticas esportivas, como também para festas que acontecem no local, como as concentrações dos blocos dos professores e da saúde promovido pela prefeitura de Goiana.

"Uma estrutura deficiente torna as atividades de alunos e professores mais complicadas e pode contribuir, inclusive, com a evasão de estudantes". (disse professora)

A empresa Atlante venceu a licitação e está fazendo a reforma da escola, que segundo representante, deverá estar concluída dentro de mais 45 dias, os profissionais responsáveis pela reforma disseram não ter a minima condição de trabalho, pois eles tem que fazer os serviços enquanto os alunos assistem aulas.

Inclusive um aluno acidentou-se com um pedaço de telha que caiu sobre o seu braço, "Não causou grande lesão mais poderia ter sido na cabeça". (Falou um dos profissionais, responsáveis pela reforma da escola).














































Fotos: Netto Dias