quarta-feira, 27 de abril de 2016

Supostos desvios na Hemobrás envolvem até R$ 107 milhões, diz MPF

Sem alarde, o Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco continua com as investigações decorrentes da Operação Pulso, deflagrada pela Polícia Federal (PF) em 9 de dezembro de 2015.

A Operação visou desbaratar uma suposta organização criminosa que, segundo a PF, estava instalada na diretoria da estatal federal Hemobrás, sediada em Pernambuco.

Durante a busca e apreensão realizada em dezembro, a PF flagrou maços de dinheiro sendo arremessados da janela de um dos apartamento das Torres Gêmeas, no Recife. No edifício, morava um dos investigados na Operação Pulso, o então diretor-presidente da Hemobrás.