Africano é preso em Goiana suspeito de oferecer graduações falsas

Natural de Guiné Bissau, Nico Antonio Bolama, de 38 anos, também agia em outros Estados

Um africano, natural de Guiné Bissau, identificado como Nico Antonio Bolama, de 38 anos, foi preso, no município de Goiana, no Litoral Norte, suspeito de estelionato e de atentar contra a ordem econômica.

O guineense seria responsável por abrir turmas de graduação de baixo custo na cidade de Goiana, sem que os cursos tivessem qualquer validade do Ministério da Educação (MEC), o que ocasionou prejuízos à centenas de alunos carentes. 
A prisão aconteceu na tarde dessa quinta-feira (21) e foi deflagrada pela Delegacia de Polícia Civil de Goiana com o apoio da Delegacia de Roubos e Furtos de veículos de João Pessoa.

De acordo com o delegado Thiago Uchôa, titular da Delegacia de Polícia Civil de Goiana, responsável pelas investigações, pelo menos mil alunos foram enganados. “Nós temos notícia que ele atuou em outras cidades de Pernambuco, como Limoeiro. 

Pedimos que estas pessoas procurem a promotoria da cidade, para denunciar o caso”, disse.

Nico Antonio foi processado por estelionato e crime contra a ordem econômica. A pena prevista nesses casos pode chegar a cinco anos, no entanto, de acordo com o delegado Thiago Uchôa, a soma de pessoas lesadas por ele poderá aumentar a pena.