O Sindicato dos Empregados no Comércio de Goiana, informar novo horário de funcionamento

O Sindicato dos Empregados no Comércio de Goiana/PE, vem informar que a partir de Janeiro de 2016 o novo horário de funcionamento:

Segunda a Quinta: 8:00 às 12:00 – 14:00 às 16:00
Sexta: 8:00 ás 13:00

Horário de homologação: 8:00 às 12:00 ( todos os dias )
Agendamento das rescisões: Segunda a Sexta (manhã e tarde)

Atenção para os prazos previstos na CCT 2015/2016, para as realizações das homologações, serão os mesmos prazo contidos no art. 477 da CLT. 
Data base do Reajuste salarial da categoria do comércio de Goiana/PE: MARÇO.

Lei 7238/84, todo trabalhador demitido no período que antecede o dissídio terá direito a uma indenização prevista em Lei no valor do seu salário de Carteira, levando-se em conta a projeção do Aviso de acordo com a NR 15 MTE.

 Aproveitando para informar aos companheiros que as Guias de Contribuição Sindical 2016 (TRIBUTO FEDERAL), de acordo com regulamentação do Ministério do Trabalho e Emprego, só serão aceitas com a devida quitação aquelas que forem geradas ou fornecidas pelo Sindicato. 

NÃO serão aceitas guias geradas por Sistema de folha de pagamento nem pelo Site da CAIXA ECONOMICA FEDERAL. Guia paga de maneira incorreta irá gerar ônus para a empresa, pois o empregador não poderá descontar duas vezes do trabalhador.

A taxa assistencial descontada mensalmente do funcionário e depositada diretamente na conta do Sindicato, deverá ser enviada juntamente com o seu comprovante bancário para o email do mesmo: secgoianape@gmail.com,  onde deverá ser depositado ate o décimo dia útil de cada mês.

O agendamento das rescisões só poderá ser realizado com a falta dos seguintes documentos: 

CTPS, pagamento das verbas rescisórias, guia do seguro desemprego eletrônico e o pagamento da guia do FGTS se comprovado o pagamento a vencer desta. Todos os documentos deverão estar assinados carimbados e com o CPF o empregador no ato do agendamento.

Nenhum trabalhador a partir de 01° de Janeiro e até a homologação do dissídio coletivo poderá receber menos que o salário mínimo vigente no País, como também deverá ser utilizado esse percentual para cálculo  de hora extra, por Força de Lei.

Goiana, 04 de janeiro de 2016.