Saúde pede socorro: Confirmadas as denuncias contra Unidade Mista de Ponta de Pedras


Após recebermos denuncias de péssimas condições de trabalho na Unidade Mista de Saúde da praia de Ponta de Pedras, resolvemos ir até a localidade para ver de perto a real situação das instalações e do atendimento da unidade.

Ao chegarmos no local fomos recebidos pela Srª. Rute (Gerente da Unidade) e ela nos confirmou algumas informações.

Diante das fortes chuvas, funcionários tiveram que se deslocar para outro prédio onde pudessem continuar a prestar os serviços de saúde para a população local, a necessidade deu-se diante das consequências que as chuvas trouxeram, como: Alagamento, presença de insetos e infiltração de água na rede elétrica.

Chegando ao novo local de trabalho, um Posto de Saúde da Família, depararam-se com um cenário onde não dava sequer as menores condições de se fazer um atendimento básico a população, pois não haviam macas, suportes para soro fisiológicos, água potável, entre outros.

Acionada a equipe de dedetização para realizar um trabalho de expulsar insetos da Unidade Mista, apareceram centenas de baratas, ratos e escorpiões, o que deixou os funcionários assustados com a situação.

Diante de todos esses problemas a serem enfrentados, a gerente da unidade nos relatou que recebeu a visita do secretário de obras do município e o mesmo se comprometeu em resolver a situação da unidade, e falou que iria deslocar novamente a unidade para uma nova residência, porém não especificou onde seria e nem estabeleceu uma data para que as obras fossem realizadas, segundo a gerente da unidade.

Ainda em Ponta de Pedras, recebemos denuncias sobre o atendimento da Unidade Mista, o Sr. Joélito Souza nos relatou que sofreu um acidente de moto na madrugada da ultima sexta feira, (25), ao procurar atendimento de primeiros socorros na unidade o mesmo se deparou com uma situação inusitada, todos os funcionários que deveriam prestar plantão estavam dormindo, o mesmo procurou atendimento em outros postos de saúde da região e no hospital Belarmino Correia, mais só veio conseguir atendimento 8 horas após o acidente, falou também que não conseguiu até o momento a medicação para seu tratamento, que já procurou em diversos postos e em nenhum local encontrou a medicação e nem sequer recebe informações de onde possa encontra-la.

Em seguida voltamos a unidade para saber da Gerente o porque da dificuldade em atender esse paciente, perguntamos também se ela tinha o conhecimento que funcionários dormiam no horário de expediente, e sobre a questão da farmácia que a poucos instantes ela havia relatado que havia triplicado o numero de medicamentos e não havia sido liberado nenhum remédio para o paciente.

Confira todos os detalhes no vídeo abaixo: