Número de homicídios durante o Carnaval cresce 29,7% em todo o Estado

Foram 83 casos, contra 64, no ano passado. Um assassinato ocorreu em ponto de folia
Dados foram divulgados pela SDS. Período analisado foi da 0h do dia 13 às 16h da quarta-feira
O número de homicídios durante o Carnaval aumentou, este ano, em relação ao mesmo período de 2014. Segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), ocorreram 83 casos, entre a 0h da última sexta-feira (13) e as 16h da Quarta-Feira de Cinzas (18), ante 64, no ano passado, um aumento de 29,7%. O balanço foi divulgado na tarde desta quinta-feira (19).

Assim como em 2014, foi registrada apenas uma morte em pontos de folia. A vítima foi um homem, assassinado no terminal de Dois Unidos, na Zona Norte do Recife, na última segunda-feira (16). As investigações iniciais dão conta de que o crime foi cometido por conta de uma dívida relacionada ao tráfico de drogas.

Ainda conforme a SDS, no período usado na comparação, o quantitativo de homicídios cresceu em todas as regiões do Estado, exceto nos municípios da Região Metropolitana do Recife, onde caíram de 26 para 21 (-19,2%). Na Capital, em contrapartida, o número passou de 10 para 18 (+80%), e no Interior, de 28 para 44 (+53,6%).

Os quantitativos não subiam, na época analisada, desde 2010, quando foram registrados 91 Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI). Por outro lado, se a comparação for feita com 2007, ano em ocorreram 104 assassinatos durante o Carnaval, a redução foi de 20,2%. Os crimes contra a pessoa, o que inclui ameaça, agressões e lesão corporal, também tiveram redução, embora leve: de 2,4%.

Armas e drogas
Também foram divulgados os números de apreensões de armas e drogas durante o período do reinado de Momo. Este ano, foram 56 armas (11 de fogo e 45 brancas) tiradas de circulação, ante 72, na mesma época de 2014. Já as apreensões de drogas feitas pelas polícias Militar e Civil tiveram aumento de 36,4%, no caso de maconha (70 papelotes), crack (17 pedras) e cocaína (59 papelotes). Por outro lado, os crimes relacionados a drogas (uso, porte e tráfico) tiveram redução de 3,7%.

Fonte: Folha PE