Musico mirim goianense é um exemplo e destaque na Globo


Pedro Arthur tem apenas 11 anos, mas já sabe o que quer da vida. “Quero tocar com grandes maestros e também na banda sinfônica”, afirma o menino. Ele sempre mostrou jeito para o negócio, mas foi na Orquestra Mirim do Galo da Madrugada que encontrou a oportunidade de aperfeiçoar o dom. Outros 37 jovens talentos também alimentam o sonho de crescer na música na escolinha do maior bloco do mundo, que oferece aulas com o Maestro Lima Neto, como mostrou oBom Dia Pernambuco desta terça-feira (10).

São duas aulas por semana, sempre na sede da agremiação, na Rua da Concórdia, no Bairro de São José, centro do Recife. A sala de aula fica a 65 quilômetros da casa de Pedro Arthur, que mora em Goiana, na Zona da Mata de Pernambuco. Mesmo assim, o menino não perde uma aula sequer. Ele vem à capital com a ajuda do pai, que lembra do filho tentando tocar todos os instrumentos que achava aos 4 anos e incentiva o sonho do pequeno de ser músico. “Eu amo a música e, quando toco, sinto alívio no coração”, explica o jovem.

Como ele, todos os outros integrantes da Orquestra Mirim são apaixonados pela música e se mostram cada vez mais talentosos no decorrer dos encontros com o Maestro Lima Neto. Muitos já foram até chamados para tocar em outras orquestras, mas também fazem questão de participar das apresentações da escolinha na sede do Galo da Madrugada. Ricardo Aquino, 14, é um deles. Ele diz que a música é uma paixão, mas também será um instrumento de trabalho. “A música representa orgulho, amizade, amor e alegria e eu pretendo me sustentar com a música”, torce.

O professor da turma se enche de orgulho a cada declaração e música ensaiada. “Fico muito emocionado quando vejo garotos com esses tocando o frevo. Minha missão é entregá-los para o mundo”, confessa o Maestro Lima Neto, que tem uma vida inteira dedicada ao saxofone. O presidente do maior bloco de carnaval do mundo, Rômulo Menezes, também não esconde sua admiração pelos jovens músicos e conta que este era mesmo seu objetivo ao criar a orquestra mirim. “A ideia é essa: fazer um investimento para as crianças aprenderem. Afinal, a gente só pode pensar em ser uma sociedade melhor se a gente ajudar a todos”, acredita.

Fonte: G1