Suplentes lamentam escolha de secretariado

Maviael está na terceira suplência e poderia assumir uma 
vaga na Alepe (Foto: Diego Nigro/Arquivo Folha)
Por escolher apenas um deputado estadual – Nilton Mota (PSB) – para compor o secretariado, o governador eleito Paulo Câmara (PSB) deixou alguns suplentes que poderiam ocupar algumas cadeiras na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) frustrados. Nas últimas composições de governo eram escolhidos no mínimo dois parlamentares de Pernambuco, o que acabou provocando a expectativa daqueles que por pouco não foram eleitos.

“Existe uma tradição de dois a cinco parlamentares, mas isso depende do governo”, comentou o deputado Marco Antônio Dourado (PSB) ao Blog da Folha. Ele acabou o pleito com 40.472 votos ficando na segunda suplência.

O socialista comentou que, pela conversa que teve com Paulo Câmara (PSB), esperava uma vaga na Alepe. “Tivemos uma conversa de expectativa. Mas não tenho nenhuma mágoa. Mas mantenho aqui com a mesma postura que tenho na Casa”, disse.

Outro que esperava ser beneficiado com a escolha do secretariado era o deputado Maviael Cavancanti (DEM). O democrata acabou na terceira suplência da Alepe com 38.785 votos. “Na verdade quem comentava isso eram os jornais, por isso a gente ficava na expectativa. Tive uma votação significativa. Mas respeito à escolha do governador”, relatou o parlamentar, também ao Blog da Folha.

Com a escolha de Nilton Mota o primeiro suplente, deputado Antônio Moraes (PSDB) assumirá uma vaga na Alepe no próximo ano. 

Fonte: Blog da Folha