Oferta de alugueis maior que a demanda


Não é só o mercado de venda de imóveis novos que está sentindo o peso da retração. As placas de "Aluga-se" estão mais comuns , de acordo com o presidente do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais de Pernambuco (Secovi-PE), Elísio Cruz. Para ele, o mercado de aluguéis passa por um momento ruim devido à crise financeira em que o Brasil se encontra, com a inflação acima da meta, aliada aos fatores Copa do Mundo e eleições.
Além disso, Recife vive uma situação que é peculiar. Com o fim das obras de construção civil, sobretudo, na Refinaria e no Estaleiro. "As empresas estão demitindo os funcionários e há um reflexo no mercado de locação", explica. Entretanto, apesar de ser uma crise nacional, Cruz acredita que Pernambuco terá chance de se recuperar de maneira mais acelerada. Um indício disso é o início das operações da fábrica da Fiat, em Goiana. "Com uma maior quantidade de empregos, a demanda passa a aumentar. Logo, a expectativa é de que, já no ano que vem, o quadro do mercado de locação se reverta", disse.