Santa vence e mantém vivo sonho do acesso

Nem tudo está perdido nas Repúblicas Independentes do Arruda. A chama do acesso continua viva, mesmo que ainda muito fraca. Em jogo atrasado da 16ª rodada, o Santa Cruz bateu o Bragantino nesta terça (14), por 2×1, e diminuiu de 12 para nove pontos a distância para o G4, somando 42 no total. Os gols forma marcados por Wescley e Alemão, zagueiro que fez a sua estreia com a camisa coral. Agora, são nove rodadas para tirar a distância para o grupo que disputará a Série A do ano que vem.
No último jogo atuando como mandante, na Arena Pernambuco, o Santa Cruz conseguiu entrar em campo a todo vapor e precisou de apenas 45 minutos para aniquilar o Boa. Desta vez, a coisa foi bem diferente e foram necessários os dois tempos para os tricolores. Num misto de desespero e desorganização, o time realizou um rígido teste de paciência com a sua torcida nos primeiros minutos. Sem o suspenso Tiago Costa na lateral esquerda, Oliveira Canindé optou por Julinho, que possui características ofensivas, e segurou mais Tony pelo lado direito. A decisão não funcionou e para piorar, os volantes Sandro Manoel e Bileu erravam passes em demasia, o que tornava precária a saída de bola dos tricolores. Tanto que a bola pouco chegou aos atacantes tricolores.
Quando ela chegou, faltou competência aos homens da frente. Tanto que a primeira grande chance dos tricolores saiu da cabeça de Tobi (ex-Sport), zagueiro do Bragantino. Aos 12 minutos, após bola cruzada por Keno, o defensor foi desviar e quase jogou contra o patrimônio. Um minuto depois, a resposta dos visitantes quase veio em forma de gol. Depois de belo lançamento, Antônio Flávio ficou de frente com Tiago Cardoso e tentou encobrir o arqueiro, mas tocou fraco e facilitou a defesa.
Num momento de inspiração dos meias, veio o gol dos tricolores. Após rápida descida, Danilo Pires tocou para Wescley, que apenas ajeitou o corpo e chutou de longe para o goleiro Wilson Júnior aceitar: 1×0. O tento acabou acordando os mandantes, que só não ampliaram por falta de qualidade de Keno na hora de finalizar. Após bela enfiada, o atacante saiu de frente com Wilson Júnior, mas fechou o olho e mandou uma bomba, na rede pelo lado de fora.
No segundo tempo, Renatinho voltou no lugar do improdutivo Julinho, que saiu lesionado. E se havia alguma desconfiança que a Cobra Coral entregaria mais um jogo e terminaria com mais um empate frustrante, Alemão tratou logo de acabar com isso. Logo aos quatro minutos, após cobrança de escanteio, a bola sobrou para o zagueiro, que girou e bateu cruzado, rasteiro, fazendo 2×0.
Com a vantagem, os tricolores cozinharam o jogo e administraram a vantagem, sem grandes sustos. Ainda deu tempo de Léo Jaime descontar nos acréscimos, mas a vitória coral já estava garantida. Uma noite que começou com ares de triste fim das esperanças de acesso terminou com uma pequena chama acesa para a Cobra Coral.
Santa Cruz 2
Tiago Cardoso; Tony, Alemão, Renan Fonseca e Julinho (Renatinho); Sandro Manoel, Bileu, Danilo Pires e Wescley (Aílton); Keno e Léo Gamalho. Técnico: Oliveira Canindé.
Bragantino 1
Wilson Júnior; Robertinho, Yago, Tobi e Magal; Geandro, Romário (Caboré), Magno Cruz (Léo Jaime) e Sandro; Antônio Flávio (Erick) e Mota. Técnico: PC Gusmão.
Local: estádio do Arruda (Recife).
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS). Assistentes: Armando Lopes de Souza (CE) e Anderson Moreira de Farias (CE).
Gols: Wescley (aos 35 do 1ºT), Alemão (aos 4 do 2ºT) e Léo Jaime (aos 47 do 2ºT).
Cartões amarelos: Alemão (Santa Cruz).
Público: 12.897. Renda: R$ 130.304,00.