Mais fábricas no polo vidreiro

O polo vidreiro pernambucano, localizado em Goiana, Zona da Mata Norte pernambucana ganhou reforço. Quatro das seis empresas que compõem o polo iniciaram nos últimos dias as obras de terraplenagem, o que representa o pontapé inicial da construção das unidades. São elas: Norvidro, Target, Intervidro e Pórtico Esquadrias. A preparação do terreno fica a cargo das empresas e deve ser concluída em novembro. A Vivix Vidros Planos, âncora do polo, já está em operação no local.

Segundo informações da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), no local, a Intervidro irá investir R$ 6 milhões, gerando 102 empregos diretos. A empresa irá produzir vidro temperado e laminado para construção civil e decoração. A unidade terá capacidade mensal de produção de 20 mil metros quadrados.

Ao lado, estará a Norvidro, que representa um investimento de R$ 6 milhões e geração de 97 empregos diretos. Os produtos gerados no local também serão vidro temperado e laminados para construção civil e decoração.

A Pórtico Esquadrias produzirá esquadrias de alumínio com vidro e peles de vidro (peças de vidro que revestem prédios) para construção civil. Neste caso, o investimento está estimado em R$ 8 milhões. A fábrica irá gerar 230 empregos diretos. Por fim, existe a Target, produtora de vidro blindado para guaritas, bancos e veículos. O valor aplicado no projeto está estimado em R$ 15 milhões e geração de 120 empregos diretos.

Bandeirantes

O polo inclui ainda a Casa Bandeirantes, investimento de R$ 7 milhões e 50 empregos, e Sanvidro, investimento de R$ 11 milhões e 120 empregos. As duas, porém, ainda não iniciaram a terraplenagem dos terrenos. No total, o valor injetado pelas seis empresas, exceto a Vivix, totaliza mais de R$ 1 bilhão, com geração de 1.129 empregos diretos.

O terreno destinado à instalação dessas empresas está localizado ao lado do polo farmacoquímico, que tem a Hemobrás como âncora. Todas elas foram incentivadas pelo Programa para o Desenvolvimento de Pernambuco (Prodepe), que garante até 95% de desconto no crédito presumido do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

A Vivix também está no local. O projeto sozinho representa um investimento de R$ 1,04 bilhão, capital 100% nacional. A empresa produz chapas de vidros, laminados e espelhos. A unidade responde por 410 empregos diretos e mais de 1,5 mil indiretos, favorecendo uma cadeia estimada em 250 mil pessoas no Brasil, entre beneficiadores e vidraceiros. A fábrica possui uma capacidade plena de 900 toneladas diárias.

Fonte: Diario de Pernambuco