Jogadores corais quebram o silêncio sobre a greve

O atacante Léo Gamalho e o goleiro Tiago Cardoso quebraram o silêncio sobre a greve dos jogadores corais feita na última quinta (16), quando o grupo decidiu não treinar por conta dos salários atrasados. Segundo os atletas, a diretoria do clube ainda não sinalizou um prazo para sanar as dívidas.
“Não foi nada resolvido, não vou mentir. Esperamos uma posição da direção para que possam pagar. Não queremos mais ouvir prazos e sim que as coisas aconteçam para ter mais tranquilidade”, afirmou o atacante Léo Gamalho.
O jogador citou o empenho do time na vitória coral por 1×0, diante do Vasco, no último sábado, como exemplo de que o grupo não perdeu a motivação apesar dos problemas extracampo. “Nesse momento não precisamos ter críticas do torcedor porque estamos nos entregando dentro de campo e eu falo pelo grupo quando digo que até onde puder vamos buscar as vitórias. Os times que estão em cima da tabela praticamente recebem os salários em dias e esperamos que nossa situação se resolva também”, completou.
O goleiro Tiago Cardoso também comentou a greve e demonstrou otimismo quanto ao desfecho da história. “Não conversamos mais sobre isso. Sabemos que a diretoria não está parada e a esperança é que as coisas se resolvam. Temos uma semana curta porque o jogo é na sexta. Espero que eles honrem com os salários e creio que as coisas vão melhorar o mais rápido possível”, pontuou.