Em dia de mobilização, número de bancários parados no Estado sobe para 73%

O protesto feito em frente à sede do Banco Central, nesta quinta-feira (2), mobilizou mais trabalhadores à greve, fazendo com que 73% dos 12 mil funcionários que atuam no Estado cruzassem os braços por tempo indeterminado. Segundo o Sindicato dos Bancários, das 610 agências bancárias, 450 unidades estão de portas fechadas. Porém, o maior apoio vem das instituições financeiras públicas, com adesão de 98%. Nas privadas, o número chega a apenas 49%.
Para esta sexta-feira (3), os sindicalistas prometem mais um ato público em frente à Caixa Econômica Federal e ao Banco do Nordeste do Brasil, ambos localizados no cruzamento da avenida Agamenon Magalhães com a João de Barros. Munidos de faixas e cartazes, a categoria vai se concentrar nas sedes às 10h. Já às 15h, o protesto segue em direção às agências do banco Itaú, no cruzamento da Agamenon Magalhães com a rua do Paissandu.
Para a presidente do sindicato, Jaqueline Mello, esta é a maior paralisação do Estado em comparação ao ano passado. “Conseguimos iniciar o movimento com muita força. É importante que a greve atinja a categoria em sua unanimidade para que os bancos sintam a pressão e retomem as negociações, até para o protesto ser breve", afirmou.
Apesar de o engajamento dos trabalhadores ser significativo, a presidente destacou que a Federação dos Bancos (Fenaban) não fez nenhum contato com o Comando Nacional dos Bancários para retomar as negociações.

Fonte: Folha PE