Cinco estados passam a ter o nono dígito no celular em novembro. Pernambuco mudará em 2015

A partir do próximo dia 2 de novembro, os estados Amazonas (DDDs 92 e 97), Amapá (DDD 96), Maranhão (DDDs 98 e 99), Pará (DDDs 91, 93 e 94) e Roraima (DDD 95) passarão a ter o nono dígito nos números de celular. No momento da discagem, o nono dígito deverá ser acrescentado por todos os usuários de telefone fixo e móvel que liguem para telefones móveis dos cinco estados independentemente do local de origem da chamada. Apenas os usuários da telefonia móvel terão o "9" adicionado em seus números. Os telefones fixos continuarão com oito dígitos.

O objetivo da medida, que está sendo implementada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) foi ampliar a capacidade de números de celulares no país. Com a inclusão do nono dígito, cada área de numeração (DDD) tem em média a capacidade aumentada de 38 milhões para 90 milhões de linhas.

Na capital paulista e mais 63 municípios de São Paulo (área 11), os usuários começaram a utilizar o nono dígito em julho de 2012, porque existia um problema urgente. Com o nono dígito, a capacidade de numeração subiu de 44 milhões para 90 milhões de números. A implementação do nono dígito no restante do Estado de São Paulo ocorreu no dia 25 de agosto de 2013. No dia 27 de outubro, a implementação ocorreu em todo o Estado do Rio de Janeiro e no Espírito Santo.

Durante um determinado tempo, as ligações discadas com oito dígitos nos estados da região Norte ainda serão completadas, para adaptação das redes e dos usuários. Aos poucos, elas serão interceptadas com mensagens orientando os usuários sobre a nova forma de discagem. Após o período de transição, as chamadas marcadas com oito dígitos não serão mais completadas.

Segundo o cronograma da Anatel, até o final de 2015, o nono dígito será estendido para Minas Gerais, Bahia, Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí. E por último, até dezembro de 2016, Acre, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia, Tocantins, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.